quarta-feira, 26 de março de 2014

Ainda há esperança

Sei que sumi de novo... Desculpa, de verdade!

Achei que depois das primeiras semanas eu já estaria craque na vida de casada, mas agora estou vendo que demora um pouquinho mais para entrarmos no ritmo de cuidar de uma casa inteira!!!

Agora mesmo eu não deveria estar aqui, mas estava morrendo de saudade de escrever para os meus leitores e precisava contar o que me aconteceu hoje! Espero que todos deem uma chance para esse meu texto, o leiam até o final e, caso concordem, que compartilhem para que mais pessoas fiquem sabendo do acontecido.

Já mencionei aqui antes que, além de escritora, também sou professora de Português- Inglês. Atualmente só tenho dado aulas de inglês e um dos colégios onde trabalho é municipal. Há tempos (e olha que eu não tenho tanto tempo assim de formada e nem de empossada) eu vinha me sentindo cada vez mais desestimulada com a minha profissão. Eu sempre sonhei em ser professora para fazer a diferença, para acrescentar coisas boas nas vidas dos meus alunos, para lhes trazer felicidade e esperança, para me sentir útil nas várias horas que fico fora de casa trabalhando.

Só que não era bem isso o que acontecia... Muito pelo contrário. A educação, infelizmente, já vem decadente há anos, e cada vez isso tem acontecido de forma mais rápida. Dessa forma, eu ia para o trabalho para me desgastar. Os alunos eram completamente desinteressados e quase nada do que eu fazia ou propunha chamava a atenção deles ou os acalmava. Eu já não tinha mais esperanças  de que eu realmente conseguiria fazer a diferença na vida daquelas crianças e pré-adolescentes para quem eu dava aula. O meu sentimento era de profunda tristeza, e não digo isso porque estou me abrindo na internet, mas porque eu realmente me sentia assim. Quando eu voltava de um dia de trabalho, eu estava sem voz, com a garganta doendo, extremamente esgotada e cansada e, ao parar a noite para refletir o que eu tinha feito do meu dia, a resposta era: "Nada!". Quem é professor vai me entender bem e vai saber que eu não estou exagerando. A realidade nem sempre é o que gostaríamos que fosse, e temos que aprender a lidar com isso. Só que EU não podia aceitar uma situação dessas. Algo deveria ser feito. Eu não poderia abrir mão do meu sonho por causa dessas imensas dificuldades. E eu nunca abri mão. Sempre continuei acreditando que um dia eu teria uma turma perfeita!! E, na minha opinião, uma turma perfeita é aquela que presta atenção quando você está explicando, que faz bagunça (que criança que não faz?!) mas que para quando você pede, que respeita o professor e os colegas e que estuda e tira notas boas nas provas. Essa era a minha turma dos sonhos e eu tinha certeza de que pelo menos 1 turma assim eu teria que ter... não era possível que a educação estivesse tão decadente  a esse ponto...

E hoje, COM MUITO ORGULHO, ADMIRAÇÃO, FELICIDADE E EMOÇÃO, faço questão de dizer que tenho 6 turmas perfeitas!!!!!! (Isso aí, 1 ponto de exclamação para cada uma delas!) Desde o início já sabia que essas turmas que eu ganhei de presente dariam ótimos frutos e hoje eu apliquei uma prova compatível com a matéria que foi dada (infelizmente tivemos pouquíssimo tempo para poder dar um pouco mais de matéria e ter mais conteúdo) e, apesar de todos os obstáculos que apareceram para que algumas turmas não conseguissem ter bons desempenhos, TODAS AS 6 TURMAS FORAM ÓTIMAS!!

O meu orgulho maior é saber que, finalmente, depois de tanto tempo, eu consegui chegar em casa depois de um dia de trabalho tendo a sensação de dever cumprido, de sonho realizado, de utilidade na vida de cada um desses alunos! O mérito das boas notas foram de ambos! Fico feliz por ter conseguido passar a matéria de forma clara e de forma que eles entendessem bem e fico feliz por eles terem conseguido tirar ótimas notas, como resultado do estudo e do esforça em prestar atenção nas aulas.

Para ser mais exata, só vou ficar 100% feliz quando entregar a nota para cada um deles. Quero ver e compartilhar a felicidade da conquista por tirar uma ótima nota em uma prova de Língua Inglesa. E não vejo a hora de poder dar mais matérias para eles e fazer muito mais coisas... Agora é a hora de colocar cada vez mais gás nos estudos deles, pois, é necessário o estímulo e a vontade dos alunos para que o professor possa dar tudo de si e muito mais... sejam projetos, atividades extras, trabalhos diferentes...

Espero que entendam tudo o que eu senti e o porquê da necessidade de escrever sobre isso!
Muito obrigada a todos os que leram até o final! Não tinha como escrever menos!

Dessa vez vou tentar não demorar muito a voltar, ok?!
Beijos!